Home / Destaque / Após liderar desemprego em 2018, Dourados é a 2ª que mais contrata

Após liderar desemprego em 2018, Dourados é a 2ª que mais contrata

(Foto: Divulgação)

Campeã nacional em desemprego em 2018 por causa das demissões feitas por uma ONG local que atende a saúde indígena em outros estados brasileiros, o município de Dourados voltou a ser destaque no emprego, agora de forma positiva.

Com 4.441 vagas abertas, a segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul ficou em segundo lugar na geração de emprego em janeiro de 2019, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho.

Dourados foi responsável por 12,9% do emprego com carteira assinada gerado no país no primeiro mês do ano. Só foi superada por Vacaria (RS), que respondeu por 15,26% dos 34.313 empregos criados em janeiro no Brasil. Juntos, os dois municípios responderam por 28,16% do emprego gerado no país.

De acordo com os números do Caged, Vacaria gerou 5.223 empregos novos em janeiro após perder 511 vagas com carteira assinada no ano passado. Pelo menos 97% foram empregados no setor agropecuário. Em Dourados, o setor de serviços gerou 4.599 vagas formais no primeiro mês do ano.

No mês passado, Dourados virou notícia nacional por ser a cidade que mais demitiu em 2018 no país, com o fechamento de 8.462 vagas.

O saldo negativo foi influenciado por demissões feitas pela Missão Evangélica Caiuá em outros estados, onde a ONG mantinha equipes para atendimento de saúde às populações indígenas.

A Missão Evangélica Caiuá tem CNJP em Dourados, por isso as demissões apareceram como se tivessem ocorrido na segunda maior cidade de MS, onde, de fato, ocorreram apenas 50 demissões de trabalhadores da ONG enquanto em Minas Gerais, por exemplo, foram cinco mil demitidos.

Indagada nesta sexta-feira (1º) pelo Campo Grande News se em janeiro de 2019 não teria ocorrido o inverso, já que a Missão Caiuá voltou a contratar, a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico Rose Ane Vieira explicou que a ONG perdeu boa parte dos estados onde atuava e neste ano o número de contratações foi bem menor.

“As contratações feitas pela Missão tiveram influência no saldo positivo, mas não com o mesmo impacto das demissões de 2018, já que agora a ONG atua em um ou dois estados apenas”, explicou. Ela disse que não conseguiu contato com a Missão Caiuá para saber quantas pessoas foram empregadas pela ONG em janeiro.

Rose Ane afirma que a maior parte dos empregos gerados em janeiro vem das 61 novas empresas abertas em Dourados no primeiro mês do ano. Além disso, a Coamo também começou a contratar mão de obra para trabalhar na indústria, em construção na margem da BR-163, na saída para Caarapó.

Fonte:Da hora bataguassu

Veja Também

Preso que escapou durante rebelião é encontrado morto no matagal

Foi encontrado morto em meio a um matagal, na cidade de Navirai – a 359 ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *