Home / Destaque / Atrasados do Enem: a tristeza de quem se esforçou o ano inteiro, mas foi traído pela memória

Atrasados do Enem: a tristeza de quem se esforçou o ano inteiro, mas foi traído pela memória

Todos os anos a cena se repete. Após o fechamento dos portões dos locais de prova, um ou outro candidato aparece desolado. Este ano, na Uniderp de Campo Grande, não foi diferente e alguns estudantes perderam a prova.

Na maioria dos casos, não foi o trânsito ou o Horário de Verão que motivaram a perda. Pelo menos três alunos que já estavam dentro da faculdade tiveram que sair porque esqueceram documento oficial com foto em casa.

Ana Cristina Mendes, 32 anos, diarista e mãe de um trainee de 16 anos bem que tentou, mas não conseguiu chegar a tempo para entregar o documento ao filho. Como o menino ainda está estudando, a tristeza não foi tão grande. “Ele trouxe a cópia do documento, não sabia que tinha que ser o oficial. Ele faz cursinho, está decepcionado por não ter conseguido fazer a prova, infelizmente não cheguei a tempo. O alívio é que ele faria apenas opara testar”, diz.

Já para Camila Gomes, de 17 anos, que perdeu a prova pelo mesmo motivo, o que fica é a sensação de culpa. Ela estuda em uma escola pública da Capital e faz cursinho particular e, na pressa de sair de casa, acabou deixando o documento para trás. Ela explica que os pais voltaram para casa para buscar o documento, mas não chegaram a tempo.  “Eu estudei o ano inteiro para realizar o sonho de entrar no curso de Medicina na federal e não consegui. Também não posso fazer o vestibular da UFMS, pois precisava da nota da redação do Enem”, lamentou, entre lágrimas.

Jeniffer Medeiros, 20 anos, por pouco não se atrasou. A estudante chegou ao local de prova 15 minutos antes do fechamento do portão e só percebeu a falta do documento de identidade ao entrar na sala. Os fiscais até orientaram que ela esperasse perto do portão para alguém passar o documento, mas não deu tempo e ela teve que sair do local de prova.

Fonte:Midia Max

Veja Também

Bandidos quebram parede de banco, mas fogem sem levar nada

Uma agência bancária da cidade de Angélica – a 323 quilômetros de Campo Grande, foi ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *