Home / Destaque / Golpistas se passam por fiscais do Procon para furtar na Capital

Golpistas se passam por fiscais do Procon para furtar na Capital

O Procon Municipal (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) recebeu denúncias de que pessoas estariam se passando por fiscais do órgão para realizar falsas fiscalizações e apreensões em estabelecimentos comerciais da Capital.

Segundo o subsecretário do Procon Municipal, Valdir Custódio, as denúncias começaram na sexta-feira (29). Os comerciantes informaram que os golpistas apareciam com camisetas brancas e a logo do Procon. Após a falsa fiscalização, de acordo com os comerciantes, a equipe levava os produtos vencidos, atitude que gerou suspeita por parte dos empresários.

“Entraram em contato conosco perguntando se o Procon levava os produtos. Nós nunca levamos. A mercadoria irregular é descartada, violamos todas as embalagens, tudo é colocado no saco de lixo e jogamos alvejante em cima. O produto fica inutilizado e é descartado no estabelecimento. O Procon não leva absolutamente nada”, afirma o subsecretário.

Como identificar um fiscal do Procon Municipal

Segundo Custódio, ao invés de camisetas brancas, os fiscais do Procon Municipal usam coletes azuis com identificação do município, além de identidades funcionais assinadas por ele e pelo prefeito.

No vídeo, o subsecretário dá detalhes de como os fiscais do órgão se apresentam no ato da fiscalização.

“Sempre é redigido o auto de constatação, ou de infração. Mesmo em uma fiscalização negativa, todas as conveniências recebem o auto de constatação, mesmo que seja para dizer: vim e não encontrei irregularidade. Em nenhuma hipótese a fiscalização autua sem fiscalizar”.

O subsecretário orienta ainda que, se algum comerciante for abordado por um falso fiscal ou tiver dúvidas, deve solicitar a carteira de identificação. “Caso não seja apresentada acione a polícia. Em seguida, faça uma denúncia ao Procon Municipal pelo WhatsApp: 98469-1001”.

Fonte:Midia Max

Veja Também

Depois de 36 dias sem registros, duas pessoas morrem por dengue em MS

(Foto: Paulo Francis/Arquivo) Depois de 36 dias sem registros de óbitos por dengue, o número ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *